Aplicativo


A IBM está trabalhando em um computador capaz de enfrentar participantes humanos no popular programa de perguntas e respostas “Jeopardy!”. O objetivo é demostrar o nível alcançado pela inteligência artificial. O computador será batizado de Watson, em homenagem ao fundador da IBM, Thomas J. Watson.

“O ‘Jeopardy!’ representa um grande desafio para um sistema informático, dada a variedade de temas, a velocidade com que as respostas precisam ser dadas, e a sutileza e ironia com que devem ser analisadas as pistas dadas aos participantes, aspectos em que os seres humanos tradicionalmente se sobressaem frente aos computadores”, explica a IBM em um comunicado.

A IBM foi responsável pelo Deep Blue, o computador que venceu o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, em uma controversa partida em 1997. O enxadrista considerou a disputa injusta e conseguiu um empate numa revanche contra outra versão do programa.

Diferente do xadrez, que tem um número finito de variáveis a serem consideradas, o “Jeopardy!” requer o estudo de possibilidades quase infinitas e exige ao mesmo tempo interação entre seres humanos para a tomada de decisões e, de certa forma, a compreensão de “perguntas formuladas de maneira humana”, afirma a IBM.

Criado há 45 anos, o “Jeopardy!” é um dos programa de televisão mais antigos e populares nos EUA, onde três participantes competem diante de um painel com trinta monitores. Para pontuar, eles precisam formular a pergunta correta que corresponde a uma resposta que aparece na tela escolhida, que pode trazer temas de várias áreas do conhecimento, desde história ou literatura até cultura popular ou ciência.

– O grande objetivo é conseguir que o programa possa conversar em termos humanos, mas ainda não chegamos a esse momento – explicou David Ferrucci, responsável pela equipe da IBM que desenvolve o projeto.

Segundo o New York Times, durante uma demonstração a versão atual do Watson pareceu ser “agressiva e competente”, mas cometeu erros bobos, como afirmar que “sheet” (lençol em inglês) era uma fruta.

Na competição que está sendo planejada para acontecer em Los Angeles, Watson não estará conectado à internet. Ele deverá responder às perguntas com base em um banco de dados instalado previamente em sua memória.

– A essência da tomada de decisões consiste no reconhecimento de padrões em grandes quantidades de dados, a classificação através de escolhas e opções e a resposta rápida e precisa – afirma o presidente da IBM, Samuel Palmisano.

A forma de Watson ainda não foi definida pela IBM, nem seu sexo. Mas já se sabe que o computador responderá com uma voz sintetizada. A representação poderá ser feita através de um avatar em um monitor.

Entre os possíveis adversários humanos, um dos que já foram considerados é Ken Jennings, que já venceu o programa 74 vezes consecutivas e conquistou prêmios de US$ 2,52 milhões em 2004.

Fonte: http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2009/04/28/ibm-trabalha-em-computador-para-enfrentar-seres-humanos-no-jeopardy-755475161.asp

Assistindo a uma reportagem sobre transplante de coração que passou no Fantástico (19/04/2008) eu tive uma visão: descobri como enrolar a Dona Morte e me tornar imortal.coracao_blog1

Eu vi o coração do doador totalmente parado bater no peito do receptor, e o mais espetacular foi que o coração começou a bater do nada enquanto o médico costurava-o. Minha nossa senhora!!!! Que bruxaria é essa??? Na idade média com certeza esse médico teria sido queimado na fogueira santa ou decapitado em um guilhotina.

Nesse momento enquanto a baba descia da minha boca aberta sobre meu chá de cogumelo, eu vi que o nosso hardware (parte que podemos quebrar) é totalmente independente do nosso software (nossos pensamentos), bem, se isso for realmente real, só precisamos criar um sistema computacional de inteligência artifical que simule em 100% nossas capacidades cognitivas. Nesse sistema nós teríamos todas as capacidades humanas, como sentidos, sentimentos, memória, raciocício, crenças, reflexos, etc. Basicamente uma cópia de mim mesmo em bits.

Com esse sistema funcionando, só preciso transportar meu conhecimento e “voilá”, agora estou consciente em um outro hardware, com um pequeno e simples detalhe: prolonguei minha vida cognitiva por um tempo indeterminado. Caso o hardware começe a dar tilte, é só trocar. Coisa linda! Poderei deslumbrar a singularidade de camarote, ou talvez o fato de eu me tornar imortal dê inicio a própria singularidade.

A minha imaginação com certeza é muito fértil e tudo que falei agora pode ser considerado como a descoberta do século ou dá um bom tema para um livro de ficção científica. Hoje com certeza não temos condições de criar um sistema de inteligência  artificial auto-consciente, mas fica aí a dica para uma ótima aplicação para quando conseguirmos. Uma coisa é certa: podemos estar livre das doenças, mas vamos ter problemas novos para nosso hardware novo. Será que estaremos mesmo imortais?

Criar sistemas auto-conscientes corresponde a área de pesquisa dentro da Inteligência Artificial chamada de “IA Forte”. Criar um sistema desse porte hoje em dia é altamente complexo, mas antes temos que superar alguns desafios, desafios estes aparentemente mais fáceis. Um desses desafios é chamado de Teste de Turing, proposto por Alan Turing em um publicação de 1950 chamada “Computing Machinery and Intelligence“. Passar nesse teste já é um belo passo dado rumo a imortalidade.

Não precisamos ir longe para vermos seres imortais, temos hoje na natureza uma água-viva chamada Turritopsis dohnhii (revista Super Interessante abril de 2009, pg 34) que é imortal. Álias, já podemos ir prevendo problemas com a imortalidade. Essa água-viva vem preocupando os cientistas devido a superpopulação da mesma levando à extinção de outras espécies.

Enquanto não conseguimos criar um sistema auto-consciente, podemos tentar fazer o que Billy e Mandy conseguiram. Que foi escravizar a própria morte, mesmo assim já podemos ir pensando em um nome para o sistema. Eu proponho chamar de Highlander v1.0.

Você tem idéias que levam as pessoas a te chamarem de louco? Você tem sonhos reveladores que te mostram o futuro? Você acha que o mundo vai acabar em 2012? Você quer ganhar uma viajem para NY? Bem, seus problemas acabaram. Você será bem-vindo para participar da Arena Info de Software.

A Arena Info de Software é uma competição nerd para equipes de 1 a 5 universitários, (mesma universidade). A equipe que vencer ganhará uma viagem para NY com despesas de passagem e hospedagem pagas. Para os ganhadores de cada categoria o prêmio é de 1 mil reais em vale compras.

Inscrições de 1 de março até 20 de maio.

Arena Info de Software

Arena Info de Software

A idéia é a seguinte, basta você criar um programa utilizando técnicas de inteligência artificial, mas esse programa tem que ser inovador, daqueles que fazem as pessoas ficarem arrepiadas e de boca aberta. Até que é uma boa idéia, quem sabe o objetivo do concurso poderia ser, “Faça uma pessoa ficar de boca aberta”. Bem, além de IA outras categorias são oferecidas, são elas: iPhone, Android, Game, Aplicativo onlie e Widget.

Informações mais completas em: http://info.abril.com.br/blog/arena/