maio 2009


malandro[1]O que um post com título de “O Último Malandro” tem haver com inteligência artificial?? A ideia é fazer uma analogia sobre personalidades humanas e possíveis personalidades computacionais ou personalidades que sistemas inteligentes e autoconscientes possam vir a ter.

Fazendo uma pesquisa na internet eu descobri características de um típico malandro que até hoje não vi em nenhum livro de computação. Muito pelo contrário, algumas artimanhas dos malandros vão contra técnicas de computação, como a técnica de escalonamento que tem como objetivo organizar processos. Já na malandragem, obter vantagem em determinada situação é um dos objetivos, nesse caso, um processo “malandro” teria vantagens sobre outros processos utilizando  técnicas ilícitas.

Agora vamos pensar em um sistema com capacidade cognitiva muito similar a humana.

Tempo para pensar (Pensando…).

caomalandro2Eu pensei que esse sistema pudesse ter uma personalidade e fui um pouco mais criativo, achei que essa personalidade é muito parecida com a de um malandro. Como isso seria?

Malandros são dotados de uma inteligência sutil e de uma engenhosidade espantosa. Além do mais, para ser um completo malandro, o mesmo deve ser um mestre na arte da malandragem para executar seus planos que pressupõe obter vantagens sem que sua ação se faça perceber. É exigido, destreza, carisma, lábia, e outras características que tem haver com manipulação de pessoas. Sem contar que tudo deve ser executado da forma mais fácil possível e que a energia utilizada seja apenas a essencial.

Eu fico de cabelos em pé ao saber que um sistema pode  ter características assim, mas poderia ser pior. Podemos criar assassinos, preconceituosos violentos, nazistas, cornos, entre outros. Se ler a última frase novamente, você vai npasso-do-malandro-lia-sandersotar que utilizei a palavra “criar”. Isso quer dizer que temos fé que os sistemas terão a personalidade que a gente quizer. Duvido que isso realmente aconteça, até porque logo, logo teremos sistemas femininos e masculinos e esses vão fazer sisteminhas que vão ter a personalidade que o ambiente em sua volta irá proporcionar e não podemos esquecer a cultura que esse bebê sistema vai ser submetido a se adequar. Abre aspas: Os sistemas macho se ferraram, vão ter que aturar sistemas mulher de TPM, bem feito, toma mané (nesse contexto mané significa: sistema otário). Fecha aspas. Exemplo de otário.

ze_carioca[1]Concluindo meu raciocínio, eu acredito que podemos imaginar infinitas possibilidades que nunca acontecerão, mas se acontecer temos que estar preparados. Afinal, estamos brincando de deus quando criamos sistemas inteligentes autoconcientes. Como eu disse acima, esses sistemas podem se tornar cópias fiéis de nós mesmos, inclusive em nossas personalidades, características, medos, sonhos, etc,  mas a forma como eles vão mudar nossas vidas, isso é ainda uma incógnita.

E o que o último malandro seja um sistema que saiba o quanto é bom ser honesto. Aí sim, ele seria honesto só por malandragem.

Alguns vídeos relacionados:

Ópera do Malandro – A Volta do Malandro

Homenagem Ao Malandro – Chico Buarque

Estão abertas as inscrições, até 31 de julho, para a terceira edição da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), iniciativa pública sem fins lucrativos dedicada às escolas, professores e jovens brasileiros vinculados ao ensino fundamental, médio ou técnico.

Robótica educativa

A participação no evento, que espera envolver 50 mil alunos de todo o Brasil, é gratuita e as inscrições devem ser feitas pelo site da competição. Entre os objetivos está o de despertar e estimular o interesse pela robótica e áreas afins e promover a difusão de conhecimentos básicos sobre robótica de forma lúdica e cooperativa.

Os desafios da competição vão da realização de provas teóricas em âmbito nacional, em que os alunos resolvem problemas de robótica, a provas práticas de “sumô” entre robôs construídos pelos próprios estudantes, que serão disputadas entre equipes de até quatro estudantes orientados por um professor, além de parcerias com universidades, disponibilização de site com material de robótica pedagógica e fóruns para troca de experiência entre docentes.

Fases da competição

Todas as competições da olimpíada serão realizadas em duas fases. A primeira será disputada em nível regional, nas escolas selecionadas pela organização do evento.

A fase final envolverá os ganhadores da primeira fase em todo o país e ocorrerá em Brasília, em conjunto com mais dois eventos: a Competição Brasileira de Robótica, entre alunos de graduação, e o Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente, o principal evento científico em automação inteligente na América Latina, ambos de 20 a 23 de setembro.

Rumo a Cingapura

Os membros das equipes campeãs das provas práticas serão convidados a compor a Seleção Brasileira de Robótica, que participará do mundial da RoboCup Junior, que ocorrerá em Cingapura, em 2010.

A competição pretende ainda repassar conhecimentos básicos e esclarecer mitos sobre a área de robótica para estudantes de todos o níveis de escolaridade do país.

A promoção é da Universidade Estadual Paulista, da Sociedade Brasileira de Computação, da Sociedade Brasileira de Automática e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Mais informações podem ser obtidas no site da competição (http://obr.ic.unicamp.br).

Fonte: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=abertas-inscricoes-para-olimpiada-brasileira-de-robotica&id=010180090407

A IBM está trabalhando em um computador capaz de enfrentar participantes humanos no popular programa de perguntas e respostas “Jeopardy!”. O objetivo é demostrar o nível alcançado pela inteligência artificial. O computador será batizado de Watson, em homenagem ao fundador da IBM, Thomas J. Watson.

“O ‘Jeopardy!’ representa um grande desafio para um sistema informático, dada a variedade de temas, a velocidade com que as respostas precisam ser dadas, e a sutileza e ironia com que devem ser analisadas as pistas dadas aos participantes, aspectos em que os seres humanos tradicionalmente se sobressaem frente aos computadores”, explica a IBM em um comunicado.

A IBM foi responsável pelo Deep Blue, o computador que venceu o campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, em uma controversa partida em 1997. O enxadrista considerou a disputa injusta e conseguiu um empate numa revanche contra outra versão do programa.

Diferente do xadrez, que tem um número finito de variáveis a serem consideradas, o “Jeopardy!” requer o estudo de possibilidades quase infinitas e exige ao mesmo tempo interação entre seres humanos para a tomada de decisões e, de certa forma, a compreensão de “perguntas formuladas de maneira humana”, afirma a IBM.

Criado há 45 anos, o “Jeopardy!” é um dos programa de televisão mais antigos e populares nos EUA, onde três participantes competem diante de um painel com trinta monitores. Para pontuar, eles precisam formular a pergunta correta que corresponde a uma resposta que aparece na tela escolhida, que pode trazer temas de várias áreas do conhecimento, desde história ou literatura até cultura popular ou ciência.

– O grande objetivo é conseguir que o programa possa conversar em termos humanos, mas ainda não chegamos a esse momento – explicou David Ferrucci, responsável pela equipe da IBM que desenvolve o projeto.

Segundo o New York Times, durante uma demonstração a versão atual do Watson pareceu ser “agressiva e competente”, mas cometeu erros bobos, como afirmar que “sheet” (lençol em inglês) era uma fruta.

Na competição que está sendo planejada para acontecer em Los Angeles, Watson não estará conectado à internet. Ele deverá responder às perguntas com base em um banco de dados instalado previamente em sua memória.

– A essência da tomada de decisões consiste no reconhecimento de padrões em grandes quantidades de dados, a classificação através de escolhas e opções e a resposta rápida e precisa – afirma o presidente da IBM, Samuel Palmisano.

A forma de Watson ainda não foi definida pela IBM, nem seu sexo. Mas já se sabe que o computador responderá com uma voz sintetizada. A representação poderá ser feita através de um avatar em um monitor.

Entre os possíveis adversários humanos, um dos que já foram considerados é Ken Jennings, que já venceu o programa 74 vezes consecutivas e conquistou prêmios de US$ 2,52 milhões em 2004.

Fonte: http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2009/04/28/ibm-trabalha-em-computador-para-enfrentar-seres-humanos-no-jeopardy-755475161.asp